Lançamento do “Não se Apega Não”, da Isabela Freitas

20141026_171035

Oi gente, no dia 25/10/2014, houve o lançamento do “Não se Apega Não”, livro da Isabela Freitas.

Bom, eu já acompanhava os textos e vídeos dela pelo blog e já gostava muito. Em muitos momentos, sem querer ser pretensiosa, já que ela é uma escritora e eu não, os textos dela falavam de mim como se eu estivesse escrevendo. Quando li sobre a pré-venda do livro, comprei imediatamente. Li e reli o livro na seqüência.

Não considero o Não se Apega Não um livro de auto-ajuda, nem uma literatura adolescente, embora eu ache que era a pessoa mais velha no lançamento do livro, mesmo tendo só 23 anos. Acho o livro gostoso de ler, acho a história interessante, acho que o que mais atrai no livro é que em vários momentos, qualquer um pode se identificar com a Isabela.

Eu, particularmente, me identifico com ela. Talvez por ter me formado em Direito, e ela ter cursado essa faculdade, talvez por termos a mesma idade, talvez porque também gosto de ler e escrever, não sei exatamente o porquê, mas me identifico. Talvez porque eu também gosto de ser uma “garota-contos-de-fadas” (p.23), uma daquelas pessoas que acredita no melhor das pessoas e gosta de ver o melhor de cada um dentro de si. Porque admito que sou uma MU-LHER-ZI-NHA, hahaha. Claro, temos milhões de diferenças e a principal: Eu não sou desapegada! Sou taurina, e como boa taurina, sou extremamente apegada a tudo que considero meu.

Porém, tem alguns trechos do Não se Apega Não, que não posso deixar de citar:

Você tem que aprender a conviver com suas decisões. Decisões são o planejamento do seu futuro, e como o passado, elas não podem ser desfeitas.”

“Por isso, precisamos viver todos os dias como se fossem os últimos. Com intensidade, sinceridade e amor no coração. Precisamos desfrutar cada sorriso, cada olhar, cada instante, porque nunca se sabe quando precisaremos deixa-los ir, para que novas coisas possam vir.”

“O desapego é saber a hora de se despedir de coisas que não têm mais espaço na sua vida.”

Desapegar; remover da sua vida toda e qualquer coisa que te atrase, te reprima e torne o seu coração pesado.

O Não se Apega não tem muitas frases que eu adorei e destaquei além dessas, mas acho que essas passam algumas das “lições” que eu acho que eram a intenção do livro.

20141026_171048-1

Voltando ao lançamento, a organização do evento me chamou muito a atenção. Foi na Saraiva do Barra Shopping em Porto Alegre, e as quase duzentas pessoas que estavam lá para o lançamento recebiam pulseiras numeradas, e o mais impressionante, isso funcionou!

Não era necessário ficar o tempo inteiro na fila, e na hora de ir para a fila, as pessoas educadamente cediam o lugar a que a pessoa pertencia. Além disso, quem estava na Saraiva alheio ao lançamento e simplesmente indo à livraria, podia fazer isso tranquilamente.

Mas o principal a destacar, a Isabela Freitas, é exatamente o que eu esperava dela, simples, simpática, atenciosa.  Eu podia ver nela a realização pessoal que aquilo significava e a alegria de estar realizando um sonho. Mesmo que deva ser absurdamente cansativo fazer tantas viagens e sorrir por tantas horas, ela fez isso, graciosamente e como alguém que não estava cumprindo uma obrigação, mas sim realizando um sonho.

IMG-20141026-WA0028

E pra finalizar, cito novamente a Isabela Freitas, escritora que sem dúvida me inspirou para criação desse meu blog, e que combina muito com o meu pensamento sobre as coisas:

“Final feliz é não ter fim. E é claro que, diferente de qualquer clichê, minha história não termina por aqui.”

20141026_171008-1

20141026_171225-1

20141026_171214

ReMoved

Boa tarde, demorei muito para conseguir posta aqui de novo, mas eu precisava falar sobre um vídeo que assisti e que me marcou muito. Trata-se da história de uma menina que foi retirada dos pais e levada até lares adotivos.

No vídeo fica claro que os pais realmente não possuíam condições de cuidar dela, mostra uma menina de no máximo 10 anos cuidando de coisas da casa e de um irmão mais novo, tarefas e responsabilidades incompatíveis com sua tenra idade. Enfim, um dia ela é retirada dos pais e levada para adoção.

É retratado o sofrimento da criança por ter sido retirada de casa. Por mais impróprio que fosse, aquele era o lar que ela conhecia e acredito que seja muito difícil para as crianças se adaptarem a outra realidade, mesmo que seja para ser uma realidade melhor.

Pra mim a cena que a mãe vai correndo atrás do marido e não da filha chama muito atenção. Embora eu ache inaceitável que qualquer coisa possa ser mais importante pra uma mãe que um filho, é uma realidade muito mais comum do que eu gostaria de aceitar.

Como trabalhei com crianças que eram retiradas de casa, conheci elas, fiz o possível no meu trabalho para buscar um lar melhor para elas, o vídeo me fez refletir, e divido aqui com vocês algumas frases que considerei marcantes.

“Como você poderia entender de onde eu venho? Mesmo que você pergunte, mesmo se você ouvir, você não está realmente aqui para saber ou sentir.”

“Meu passado me define. Isso é o que eu sou. Eu sou aquela que ninguém vê, ninguém ouve, que ninguém quer. Isso é o que eu sou, se é que sou alguma coisa.”

“E todas as outras coisas se parecem com nada, se comparadas com o que de mais importante poderia voltar. Como desejar ver sua mãe sorrir de novo, ouvi-la cantando sua música favorita, aquela que a conforta quando as coisas estão bagunçadas…”

“Mas o que acontece quando as pessoas que você mais precisa, ameaçam sua existência?”

“Eu gostaria que alguém me dissesse que tudo vai ficar bem, que algum dia, talvez, eu vou me sentir normal, que nem sempre serei sozinha…Que eu terei uma mãe que me abrace, seja forte para mim. Porque talvez, eu não possa fazer tudo por mim mesma.”

“Esse é meu passado, meu histórico, minha história. Não é minha culpa. Não é por minha causa. E não deve definir meu futuro. Eu sou capaz de ser amada. Eu sou merecedora de cuidados.”

ReMoved é um vídeo incômodo, mesmo que deixe a visão de final feliz, mostra a história sem muita beleza da realidade de muitas crianças que passam por coisas que na sua inocência nunca deveriam passar.

Segue abaixo o vídeo, uma bela reflexão para todos que assistirem.